20 de Outubro de 2020

 

 

 

Bnadeira Azul e Praia Acessível

 

 

Está aqui

Instalações Desportivas

São instalações desportivas os espaços de acesso público organizados para a prática de atividades desportivas, constituídos por espaços naturais adaptados ou por espaços artificiais ou edificados, incluindo as áreas de serviços anexos e complementares. (Decreto-Lei n.º 317/97 de 25 de Novembro)

O investimento municipal em espaços para a prática de desporto fomenta o gosto pela atividade física e consequente melhoria da qualidade de vida da população mirense. 

Esta aposta visa dotar o concelho de estruturas capazes de responder ao dinamismo das associações e população em geral e, incrementar eventos realizados na área, tanto a nível de recreação como de competição.

As instalações desportivas municipais, nomeadamente o Pavilhão Municipal de Desportos e a Piscina Municipal de Mira, a par com as instalações das diversas associações do concelho, prestam serviços às escolas, movimentos associativos e ainda à população mirense e recebem, pelos seus atributos, diversas iniciativas a nível regional e nacional.

Numa altura em que o desporto adquire elevada importância no bem – estar pessoal e a sua prática prolifera, torna-se fulcral a boa gestão e qualificação de espaços a ele destinados.

As Instalações
As instalações desportivas ao dispor do Munícipes são de dois tipos: municipais (Piscina, Pavilhão e Polidesportivas) e associativas, dispersas por todo o Concelho.

 

      ​Horário

  • Segunda-feira
    Abertura: 16h30
    Encerramento: 20h30
  • De Terça-feira a Sexta-feira: 
    Manha: 08h30 / 13h30
    Tarde: 14h30 / 20h30
  • Sábado
    Manha: 09h00 / 13h00
    Tarde: 16h00 / 19h00
      Contactos
  • Rua Óscar Moreira da Silva, 3070-330 Mira
  • email: piscina@cm-mira.pt
  • Tel.: 231 480 550
  • tlm.: 924 473 742
  • Fax: 231 458 185
 
 
 
 
 
 
AnexoTamanho
PDF icon Regulamento Complexo desportivo345.88 KB

O Estádio Municipal de Mira é uma das mais importantes estruturas para a prática desportiva no concelho. Pela sua localização central e próxima a outras estruturas desportivas, como é o caso da Piscina e Pavilhão Municipal e às escolas secundária e de ensino básico, oferece maior rentabilização dos espaços e melhor aproveitamento dos equipamentos pela população jovem.

Beneficiado em 2008, ao abrigo de uma medida de apoio da Secretaria de Estado da Juventude e do Desporto, recebe, para além de provas de competição, treinos de equipas e coletividades locais e regionais e é utilizado também pelas escolas do concelho.

As ótimas condições que oferece para a prática de futebol, melhoradas pela implementação de um relvado sintético e pelo arranjo dos equipamentos, fazem do campo de Mira uma referência a nível regional e ao dispor das populações locais.

O Pavilhão Municipal de Desportos ocupa uma área de jogo de 44x25m, correspondentes às necessidades de utilização de duas turmas em simultâneo e à realização de provas oficiais.

O Pavilhão insere-se numa zona onde existe a Escola Secundária Dr.ª M.ª Cândida, a Escola Básica do 2º Ciclo de Mira, um campo de futebol e a Piscina Municipal. O terreno do Pavilhão fica junto dos limites da Escola Secundária Dr.ª M.ª Cândida de Mira e do campo de jogos, é no entanto vedado de modo a ser um espaço autónomo, uma vez que servirá além da Escola Secundária, a Preparatória e o público em geral. Na impossibilidade de fazer aberturas de iluminação do recinto de jogos a Norte (a luz mais constante) optou-se pela luz a Nascente.

Interiormente optou-se por revestir todos os pavimentos à exceção do recinto de jogos com mosaico porcelânico, devido à facilidade de limpeza e manutenção e à sua durabilidade. O recinto de jogo tem uma função polivalente assim optou-se por um material durável e de fácil manutenção. As portas têm aro em alumínio termolacado com estrutura alveolada revestida a “fórmica” de modo a serem laváveis e resistentes. Exteriormente todo o edifício tem um soco de 90 cm também em mosaico porcelânico de modo a proteger as zonas mais sensíveis. Quanto à construção optou-se por paredes duplas com caixa-de-ar e isolamento térmico. Devido às dimensões dos vãos optou-se pelo alumínio termolacado que responde bem a situações como esta.

O Pavilhão tem um vão livre de 44x33 m sobre o campo de jogos e bancadas pelo que se optou nesta zona por uma cobertura de duas águas constituída por varas de madeira de pinho lamelada colado com secção de 1,40x0,14m e um comprimento de 15,612 m, formando um ângulo com a horizontal de 15º. O interior tem forro em contraplacado de pinho com isolamento térmico em manta de lã de rocha e exterior em fibrocimento. No restante edifício a solução adotada foi a cobertura plana invertida devido à forma irregular do edifício.

A obra foi concluída no início do ano de 1993.

 

HORÁRIOS
De segunda a sexta, das 18h00 às 23h00
Sábado todo o dia
 
 
 
PDF icon Avaliação de Satisfação de Utentes

A Piscina Municipal de Mira é um complexo coberto, com uma área de construção de 3600 m2 em que o cais e a plataforma envolvente ocupa uma área de 670 m2, que possui uma piscina polivalente com 415 m2 e com uma profundidade entre 1,20 e 2,00 m, uma piscina de recreio e diversão com 108 m2, equipada com escorrega e jatos de água, e com uma profundidade entre 0,37 e 0,87 m, um jacuzzi com 5 m2, uma piscina infantil com 19 m2 e oito vestiários individuais. 
O Anteprojeto de Arquitetura foi viabilizado e aprovado pelo Instituto do Desporto em 2 de Maio de 1996.

O terreno localiza-se numa zona desportiva, entre o Pavilhão Municipal de Desportos e o campo de futebol, junto à Escola Secundária, ao 2º CEB e ao Jardim-de-Infância.
Pensando que a entrada no edifício se deveria fazer pela fachada voltada para a estrada (Sul) e que os planos de água e cais deveriam ter envidraçados a sul, chegou-se a uma solução de dois corpos paralelos, ambos com aberturas a Sul.
Assim, os planos de água possuem grandes envidraçados a Sul e Nascente. As pequenas janelas a Poente têm como única função possibilitar o arrefecimento do ar em caso de sobreaquecimento. A Sul e Nascente além de fornecerem luz têm uma função térmica com o destaque para o envidraçado a Sul que é protegido do calor de Verão por uma pala.

Quanto à implantação, o edifício foi recuado ganhando privacidade e permitindo a criação de um parque de estacionamento e passeios amplos. A Norte foi criado outro parque de estacionamento condicionado, destinado a funcionários.
Foi derrubada a vedação na zona de ligação ao Pavilhão, passando os dois edifícios a funcionarem em conjunto, o depósito de gás passou para Norte e é comum aos dois edifícios. O mesmo acesso serve de apoio à central técnica.
O Posto de Transformação é redimensionado e passa a fazer parte integrante do edifício.
Por meio da diferença na cota das lajes, conseguiu-se um maior aproveitamento da luz natural. A cobertura na zona dos planos de água com asnas de madeira lamelada e acabamento a “sandwich” de chapa metálica com isolamento térmico. No interior, um teto falso esconde o sistema de tratamento/aquecimento do ar e faz a correção acústica. As restantes coberturas são em laje plana com isolamento térmico.

As paredes exteriores são em blocos de betão com 30 cm, portanto com largura igual aos pilares estruturais, deste modo têm-se superfícies contínuas interior e exteriormente. O isolamento térmico faz-se pelo interior ou/e pelo exterior. Assim, ao nível do rés-do-chão e face à necessidade de ter materiais laváveis e duráveis no exterior o isolamento é feito pelo interior, no segundo piso é feito pelo exterior abrangendo sempre os topos das lajes e excluindo qualquer ponte térmica.

As caixilharias são em PVC e vidro duplo. Os materiais utilizados nos tanques e cais respeitarão as exigências necessárias ao normal funcionamento deste tipo de equipamento e está a ser utilizado o sistema finlandês nas bandas e renovação da água das piscinas.
Os materiais utilizados nos vestiários, balneários e sanitários, cumprem o capítulo quatro da Diretiva CNQ 23/93.

Tirou-se partido do grande envidraçado a Sul, criando um pórtico que faz o edifício parecer flutuar. Reforçando esta ideia, o espelho de água exterior que “bate” no envidraçado. Visto do interior há como que um prolongamento das zonas de água além de dar mais privacidade. 
A Nascente também o pórtico e um corpo que parece pendurado.
No resto do edifício conjugou-se panos horizontais e verticais que serão acentuados pela cor do revestimento e delimitam os envidraçados.
As palas são utilizadas para proteger as zonas de acesso e a Sul fazem sombreamento dos envidraçados nos meses de Verão.

A Piscina Municipal de Mira foi inaugurada pelo Exmo. Senhor Ministro da Juventude e do Desporto, Eng. José Lello, no dia 17 de Novembro de 2001.

Para pessoas com mobilidade reduzida a Piscina possui:
Balneário/vestiário masculino e feminino totalmente equipado;
Cadeira de rodas apropriada para acesso ao cais da piscina;
Acesso por rampa à piscina de recreio e diversão;
Acesso por elevador/cadeira à piscina polivalente;
Ausência de barreiras arquitetónicas.

Para os bebés:
Balneário/vestiário apropriado para crianças até aos três anos e seus acompanhantes;
Fraldário;
O calção/fralda apropriado para bebé pode ser adquirido na receção da piscina;

Para um melhor conforto:
Vestiários e duches individuais para quem deseja mais privacidade;
Secador de cabelo;
Sabonete líquido;
Som aquático;
Bar de apoio;
Posto de socorro com equipamento de reanimação.

A capacidade de utilização de utência normal é de 164 utilizadores, de utência máxima em hora de ponta é de 329 utilizadores e utência máxima diária é de 1316 utilizadores.

 

Horários
  • De Segunda a Sexta
    das 08h30 às 13h30 e das 14h30 às 20h30
    Encerramento: 20h30
  • Sábado
    das 09h00 às 13h00 e das 16h00 às 19h00
    Regime livre: das 09h00 às 10h00 e das 11h00 às 12h00

 

Contactos

Rua Óscar Moreira da Silva, 3070-330 Mira

Email: piscina@cm-mira.pt

Telefone: 231 458 915

Telemóvel: 924 473 742

Fax: 231 458 185

 

 

PDF icon Avaliação de Satisfação de Utentes